Lançamento do livro Relato inspirado por orelhas no site da Revista TPM

Nascida em 27 de maio de 1983, Paula Febbe sempre teve a escrita como sua motivação de vida.
Formada em roteiro nos EUA, escreveu para sites, TVs, rádios e veículos impressos como Rolling Stone e Folha de São Paulo, além de ter sido assessora de imprensa da turnê “One More Time” de B.B. King na América Latina. Um de seus contos, Asilo Particular, inspirado na música “Hurt” na versão de Johnny Cash, foi publicado pela Editora Mojo Books em 2010, o que abriu portas para que, no mesmo ano, a escritora terminasse seu primeiro romance, Relato Inspirado por Orelhas. No início de 2011, antes mesmo do lançamento oficial, Relato Inspirado por Orelhas já havia sido aceito como parte do acervo oficial da biblioteca da Universidade de Sorbonne, em Paris. Durante o mesmo ano, Paula ainda ajudou a escrever o livro O Fabuloso Mundo do Rock (V&R Editora) e teve os contos Limerence e A Incansável Decisão de Não te Amar publicados também pela Mojo Books.

Foi em 2012, após o lançamento de seu primeiro romance, que Paula começou a perceber que o que escrevia estava indo para um caminho próprio, talvez até sem autonomia consciente da autora. A escrita estava mais agressiva. Mais densa. Muito mais concentrada no suspense, no horror e na dor psíquica de todos seus personagens. Foi ao perceber isso que ela decidiu abraçar o que estava acontecendo: abandonar todos os tópicos literários que não incluíssem esse horror psíquico e começar a estudar psicanálise. Seus livros ficaram mais pesados. A produção, maior.

Em 2012, a escritora lançou três livros em formato e-books: Ears (versão em inglês de Relato Inspirado Por Orelhas), Não e a peça Sarau Inconsciente de um Alter Ego Esquizofrênico. Mesmo ano em que Paula Febbe firmou contrato com a Editora Descaminhos.

Em 2013, a parceria entre Paula Febbe a Editora Descaminhos se concretizou com Mãos Secas com Apenas Duas Folhas, escrito na época da descoberta  psicanalítica e com um protagonista desprezível  inspirado no serial killer Albert Fish. O livro foi primeiramente lançado em formato e-book no dia 31 de Outubro e, em 2014, saiu em papel.

Em 2014, Paula Febbe fechou contrato com a editora musical Arlequim, para quem continuamente compõe canções que englobam os mais diversos gêneros.

2015 foi o ano em que Paula decidiu colocar o livro mais denso, soturno e perturbador que já escreveu a público. Metástase “nasceu” em 2014, após a autora ter ficado uma semana de cama, por um problema grave de saúde, sem saber se sobreviveria. Inspirado no texto Limerence, a história é de uma jovem mulher sequestrada e todos os pensamentos desta mulher em meio ao que passa. Primeiro livro da autora do ponto de vista da vítima, e não do assassino.

Em 2017, Paula iniciou uma parceria com a também escritora Cláudia Lemes e juntas começaram o projeto Parceiras no Crime com um canal no YouTube, o Serial Chicks. Na série, as duas apresentam, discutem e analisam os principais assassinos em série da história, tanto pelo viés histórico e policial, quanto pela ótica da psicanálise.

No segundo semestre de 2017, a dupla expandiu o projeto com uma experiência literária inédita: uma novela escrita em conjunto, quando as duas ainda não se conheciam pessoalmente. Cartas no Corredor da Morte nos coloca dentro das vidas, planos, arrependimentos e crimes de dois serial killers condenados à morte, Steve Gurniak (Paula Febbe) e Johnny Love (Cláudia Lemes).

Atualmente, Paula Febbe atende como psicanalista em São Paulo, além de continuar escrevendo livros e músicas.